18.8.17

Sobre Ser Feliz

Há uns dias vi um vídeo de uma Youtuber que sigo há muito tempo com o título: "3 passos para a felicidade".

Estava a tentar adormecer e confesso que no início carreguei no play sem grandes expectativas. À medida que fui vendo o vídeo, fui ficando cada vez mais interessada no que dizia. E no final, considero que foi um vídeo importante para mim. Gostei da mensagem e é por isso que estou aqui hoje a partilhá-la convosco. A verdade é que aquele vídeo fez tanto sentido para mim e para a minha vida que também pode fazer a diferença na vida de mais pessoas. E porque com a nossa felicidade não se brinca, resolvi partilhar algumas ideias com vocês (coloquei o vídeo no final para quem quiser ver).

Para começar, coloca-se a seguinte questão: Se a felicidade estivesse dentro de uma garrafa e alguém nos quisesse vender essa garrafa, nós saberíamos de imediato o que estaria lá dentro?

Pois, se calhar algumas pessoas saberiam de imediato o que estaria dentro da garrafa, mas outras não. Se calhar algumas pessoas até poderiam pensar inicialmente que saberiam, mas pensando melhor, talvez não.

Para quem saberia perfeitamente o que lá estaria dentro e já tem a sua vida totalmente planeada, com todos os passos estudados ao milímetro para lá chegar, vocês são uns sortudos e nem precisam de continuar a ler este texto. Mas acreditem que a muitas pessoas não saberiam.

Então, para os que andam aqui a aprender sobre si e sobre a vida (categoria onde alegremente me insiro), existem 3 áreas chave que precisamos de conhecer para sermos felizes com nós próprios:


1º - Amor-Próprio
2º - Propósito
3º - Visão

O primeiro passo é termos muito amor-próprio. Se pensarmos bem, dedicamos tantas horas a saber mais sobre as áreas que gostamos e nos interessam, sejam moda, maquilhagem, alimentação, viagens, futebol ou outra área qualquer, imaginem se dedicássemos o mesmo tempo a conhecer-nos melhor a nós próprios, a amar-nos e a saber aquilo que realmente nos faz felizes e no que somos mesmos bons. Imaginem quanto iríamos descobrir sobre nós. O nosso amor próprio tem de ser tão forte como o amor que temos por outras coisas de que gostamos muito.

Este é um ponto muito válido. Andamos sempre na correria, sempre a fazer coisas, a ir a sítios, a dedicar tempo a tarefas, coisas e pessoas. Quantas horas por semana dedicamos a conhecer-nos a nós mesmos? A falar connosco, a pensar connosco? Não devia ser um luxo. Devia ser uma prioridade.

O segundo passo é sobre ter um propósito. E atenção, o dinheiro não pode ser a resposta. Precisamos de perguntar a nós mesmos porque fazemos as coisas da forma que fazemos, a razão pela qual acordamos todos os dias. Tem de ser mais do que dinheiro. É claro que precisamos de dinheiro para viver, para comprar o que queremos, para viajar e desfrutar dos pequenos luxos que nos dão gozo mas, no limite, o dinheiro não compra nem define a felicidade. Precisamos de trabalhar com o que está no nosso coração para lá chegar. Eu sei que é lamechas, mas não tenho dúvidas de que é a mais pura verdade. Termos um propósito baseado apenas em dinheiro ou fazer as coisas a pensar noutras pessoas não é o suficiente. E nunca será. Precisamos de fazer as coisas por nós.

Por último, quando temos uma boa dose de amor-próprio e temos bem definido o nosso propósito, a razão pela qual fazemos as coisas que fazemos, precisamos de ter uma visão clara do nosso sonho. É extremamente importante termos um sonho e visualizarmos esse sonho na nossa mente com todos os detalhes e cores, caso contrário não vamos crescer nesse sentido e podemos nunca alcançá-lo. 

Tenho noção que não estou a inventar a roda com este texto (até porque não vou muito além do que podem ouvir no vídeo) e não estou a falar-vos de nada completamente novo, mas à vezes ajuda a clarear a mente este "partir pedra". 

Espero que este texto tenha sido útil para, pelo menos, algum de vocês!







E vocês, se vos perguntassem o que queriam ser daqui a 10 anos, qual era o vosso maior sonho, sabiam responder?


1 comentário:

  1. Ola Andreia!
    Gostei muito da forma como abordaste o tema!
    Um beijo,
    Salomé

    http://salomedemoura.blogspot.pt

    ResponderEliminar