28.8.17

Experimentei uma aula de Biodanza

Há uns meses tive o meu primeiro contacto com a Biodanza. Falaram-me da modalidade e eu fui experimentar uma aula. Não sabia muito bem para o que ia, não estava minimamente familiarizada com a Biodanza e, por isso, fui mesmo um bocadinho às escuras. Quem me falou na modalidade foi uma colega de trabalho, a própria professora da aula de Biodanza.

Equipada com roupa de ginástica (leggings e top é o mais aconselhado), estava com aquela vontade de abraçar uma experiência nova. Sabem aquele entusiasmo que se sente quando estamos prestes a "atirar-nos" para uma coisa nova? Uma viagem, um prato, uma aula. É desse tipo de sensação que vos falo.

Então lá fui às 20h30 experimentar a aula que decorre no Pavilhão do Liceu Camões, em Lisboa. E como foi a aula? No início houve um momento mais teórico, no qual foi lançado o tema da aula e os alunos fizeram uma breve partilha de experiências sobre a aula anterior. Depois...veio a parte mágica da dança.

Na Biodanza não existe dançar bem ou mal, não existem passos certos, coreografias, não existe nada para decorar. Por isso, para quem tem sempre aquela dificuldade de não decorar coreografias (eu!), esqueçam isso, aqui não há nada disso. Não há vergonhas e não há quem dance melhor ou pior. Apenas temos de nos expressar na nossa melhor sintonia connosco próprios.

Cada música que toca (que são deliciosamente escolhidas!) é acompanhada por uma ideia, uma palavra, revelada no início de cada música (e que está inserida no tema da aula), e a nossa dança deverá ser a expressão do que sentimos sobre aquela ideia. 

Não há danças certas nem erradas e a beleza é ver como todos dançam danças diferentes, dançam as suas próprias danças. Isto é extremamente libertador, sincero e genuíno. Não há ensaios, ninguém nos explica como devemos dançar, porque no fundo ninguém precisa de nos explicar o que sentimos sobre as coisas. Como nos sentimos. Dançamos o que sentimos e estamos ali uma hora e meia a exprimir o que sentimos através de movimentos de dança.

Sem dúvida que saí de lá mais leve, em plena harmonia e sintonia comigo mesma, com uma sensação de bem-estar mesmo boa. Recomendo a todos experimentarem a modalidade, mulheres, homens, de qualquer idade. Acho difícil alguém não gostar deste encontro consigo mesmo.

É uma aula que respeita totalmente quem somos, com todas as nossas limitações e potencialidades. Acredito que também nos ajuda a descobrir coisas novas sobre nós, a conhecer-nos melhor.







Deixo-vos mais informações sobre a aula de Biodanza da Catarina Almeida.
No Facebook: Biodanza ∞ Catarina Almeida.
No site - Biodanza ∞ Catarina Almeida.

Se gostam de experiências novas, out of the box, de se descobrir e conhecer melhor a vocês próprios, vão gostar de certeza de experimentar uma aula.



Sem comentários:

Publicar um comentário